Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Dostoiévski no Sesc de Santos e, depois, ao lado de Balzac e Woody Allen, na Casa do Saber

Fiódor Dostoievski (1821-1881)
 
Meus amigos,
 
Gostaria de compartilhar com vocês duas intervenções dostoievskianas.
 
No dia 19 de junho, a convite do poeta e escritor Flávio Viegas Amoreira, www.facebook.com/flavio.viegasamoreira.5, ministrei a palestra
 
 
Fiódor Dostoiévski, a loucura e
O Evangelho segundo Talião



no Sesc de Santos, sobre as possíveis relações entre a psicopatologia de nosso cotidiano – talvez Dostoiévski considerasse a sociopatologia como um termo mais apropriado –, a obra do escritor russo e suas influências sobre meu primogênito literário, O Evangelho segundo Talião, publicado em abril pela editora nVersos.

 

E a partir do dia 31 de agosto, sábado, Dostoiévski se reunirá a Balzac e a Woody Allen para um diálogo de 6 capítulos que comporá o novo curso que passarei a ministrar na Casa do Saber:

 

 

Literatura e Filosofia em Balzac, Dostoiévski e Woody Allen

Das origens da moral burguesa ao

homicídio como 11º mandamento

Link para o curso no site da Casa do Saber:


 

 

Onde: Casa do Saber – Rua Dr. Mário Ferraz, 414 – Itaim Bibi

 

Quando: sábados, das 11h às 13h – dias 31/08, 14/09, 21/09, 28/09, 05/10 e 12/10.

 

Eis a sinopse do curso, pessoal, e os temas de cada uma das seis aulas:

 

O curso analisa duas grandes obras da literatura mundial – Eugênia Grandet (1883), de Honoré de Balzac, e Crime e Castigo (1866), de Fiódor Dostoiévski, em diálogo com os filmes O sonho de Cassandra (2007), Crimes e Pecados (1989) e Match Point (2005), de Woody Allen. Balzac realiza em sua obra o registro do surgimento da sociedade burguesa, na qual as relações sociais plasmam-se como moeda de troca. Dostoiévski, admirador do escritor francês, leva às últimas consequências a quebra dos vínculos morais resultantes de um mundo sem Deus e (des)estruturado cada vez mais sobre um tenso relativismo niilista. Woody Allen, por sua vez, não apenas se mostra um ávido leitor do niilismo de Balzac e Dostoiévski, como procura desdobrar, ao longo de seus filmes, as consequências da negação do não matarás e do não utilizarás o próximo como um meio para teus fins egoístas para a embrutecida sociedade contemporânea. O curso coloca essas três produções em contato para chegar a uma compreensão dos dilemas morais em que esses autores colocam suas personagens e, por meio delas, a humanidade como um todo.

 

31/08: Os escravo em face do senhor. O dilema de Raskólnikov revisitado pelos protagonistas de Woody Allen em O sonho de Cassandra.

 

14/09: A genealogia do utilitarismo ético em O sonho de Cassandra. Woody Allen e o pai balzaquiano de Eugênia Grandet.

 

21/09: O senhor em face dos escravos. O dilema de Raskólnikov revisitado pelo protagonista de Woody Allen em Crimes e Pecados.

 

28/09: A genealogia da ética como utilitarismo em Crimes e Pecados. O ímpeto pela manutenção do dinheiro se transforma em uma segunda natureza.

 

05/10: O senhor e os escravos na mesma senzala. Raskólnikov revisitado em Match Point.

 

12/10: Match Point: o utilitarismo ético como a escravidão do Senhor e de seus escravos.  

 

Conto com a presença de todos!

 

Um abraço,

 

Flávio Ricardo Vassoler