Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Reverberações de O Evangelho segundo Talião

Resenha sobre O Evangelho segundo Talião escrita por Caio Liudvik, pós-doutorando em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, 
 e publicada no Guia de Livros da Folha de São Paulo de 25 de maio
(Clique na imagem para maximizá-la)

Meus amigos,

O Evangelho segundo Talião (Editora nVersos), meu primogênito literário, vem caminhando pelos veículos de comunicação desde o seu lançamento, há pouco mais de um mês – dia 20 de abril.  

A partir de agora, vocês terão acesso às


Reverberações de
O Evangelho segundo Talião



(1) Guia de Livros da Folha de São Paulo, 25 de maio. Resenha taliônica escrita por Caio Liudvik, pós-doutorando em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP. (Resenha disposta na imagem logo acima.) 

(2) Primeira entrevista que concedi ao programa Livros em Revista, da TV Geração Z, apresentado pelo jornalista Ralph Peter, em 11 de abril: http://tvuol.uol.com.br/videos.htm?tag=flavio+ricardo+vassoler-_716495#assistir.htm?video=a-metamorfose-da-figura-talionica-04020E1C3968C0A14326&tagIds=716495&orderBy=mais-recentes&edFilter=all&time=all&currentPage=1

(3) Segunda entrevista que concedi ao programa Livros em Revista, em 23 de maio:

(4) Entrevista que concedi ao programa Perfil, da Rádio Unesp, apresentado pelo jornalista e crítico de arte Oscar D’Ambrosio, em 26 de abril:

(5) A escritura labiríntica em O Evangelho segundo Talião, ensaio escrito por Francini Lopes, mestre em Educação pela Unesp de Araraquara, publicado em abril pelo portal Carta Maior:

(6) Flávio Ricardo Vassoler lança livro em São Paulo – reportagem escrita por Caio Sarack, jornalista e graduando em Filosofia pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, publicada em abril pelo portal Carta Maior:

(7) As metamorfoses de Talião – release escrito pela jornalista Veridiana Lutti, assessora de imprensa da editora nVersos, publicada em abril pelo portal Carta Maior:

Espero que as reverberações taliônicas estimulem a curiosidade literária de todos vocês.

Vocês podem adquirir O Evangelho segundo Talião a partir dos sites das grandes livrarias e também por meio da página da editora nVersos: www.nversos.com.br. Eis o corredor polonês (virtual) que os levará à antecâmara de Talião: http://www.nversos.com.br/v2/o-evangelho-segundo-taliao.

Abraço a todos! 

domingo, 5 de maio de 2013

Barcelona I

Meus amigos,
 
 
Vicky, Cristina e
 
Barcelona I

 
 
Maria Helena, segundo Woody Allen


Soslaio catalão


Minha nuca se ajoelha

 
Santo Agostinho já sentenciara:
"Se não me perguntarem o que é o tempo, eu bem sei o que ele é;
mas, assim que me interpelam, já não consigo defini-lo". 



Pfizer


Inverno

 
Bricolagem



Profusão


Barcelona reescreve a História:
Alexandre reencontra Bucéfalo


Colosso em Barcelona


Primeira promessa histórica


Segunda promessa histórica


Ressentimento histórico
(Utopia, o redivivo lugar nenhum)


Ilhada


Porque a felicidade é prescrita com drágeas de 5 mg


A mão que balança o berço


Apenas a visão pode tocar

 
Segunda-feira


Como se o sofrimento fosse geométrico...


Gólgota


Cercanias


Bom samaritano


O rosto vazio, uma forma a receber as mais diversas faces do sofrimento?


Rodin?


O carrasco ao sentenciado:
"Você me perdoa?"


Porque o capitalismo jamais alcançará o mecenato católico


Inominável arquitetônico


O fractal da Sagrada Família


Sentinelas


Raízes da abóbada


Minha nuca se ajoelha


Cercanias


Prisma


Pai Nosso catalão
Porque a humanidade, no ápice de sua riqueza,
ainda não superou a aporia que nos faz pedir pelo pão nosso a cada dia

 
Braços em riste



Profusão


A Sagrada Família, um órgão arquitetônico cujo silêncio é rompido
com a primeira nota de nossa admiração boquiaberta


O silêncio (e a admiração) dos apóstolos


Mais humano


Where the rainbow ends


Raízes da abóbada


Altar


Mediação nua do inverno

 
Textura intangível



Gaudí e a escavação da abóbada


Olhe para o centro desta foto; quem soergue o quê?
As pilastras sustentam a abóbada ou do teto escorre um corpo?
 
 
Policromia


Teia

 
!


"Mamãe, mamãe, as colunas são ásperas?"

 
Metáfora orgânica da Idade Média


 
Gaudí reconfigura o título poético do historiador holandês Johan Huizinga
Não o outono da Idade Média, mas a aurora suave, levemente pálida



Enquanto não estiver pronta, a Sagrada Família sempre poderá insinuar que as capturas fotográficas sobrepõem camadas ainda não de todo esculpidas

 
A cor e a calma


 
Paroxismo singelo e extático


Da esquerda para a direita, Gaudí pressupôs a transição de Dante Alighieri

 
Altivez diante da qual se quer prostrar


Altar

 
Espectro catalão

 
"Papai, papai, é verdade que o tal de Gaudí deixou cair cera de vela nesta maquete, papai?"


A quem pertence a sombra desta mão?


Porque o capitalismo de fato precisa da Pfizer para tentar fazer frente ao mecenato católico

 
Arribita


Vertigem


Para cima ou para baixo?

 
Frestas da vertigem



Língua de pedra


Cruz inusitada

 
Vertigem 



!

 
Para cima ou para baixo?



Espólio deste mochileiro


Quadratura do círculo


Na Sagrada Família, há alguns soslaios que pressupõem o ordenamento do caos
(Como se Gaudí quisesse tomar fôlego...)

 
"Vela de sete dias, mamãe?"


Porque a Sagrada Família jamais entendeu a radicalidade de Cristo:
"Quem são meus pais? Quem são meus irmãos? Deixem que os mortos enterrem os mortos?"
A família seria não o núcleo fechado em si mesmo, mas a própria humanidade


Porque a arquitetura pressupõe a narrativa literária


Bucólico


Porque a cruz traz o agouro do caixão vertical


João Batista e o prenúncio de Herodes


Pax Atomica
(Também conhecida como matrimônio...)


33 anos depois...


Colosso catalão
 
 
Bach
(Ou estaríamos diante do pathos de Beethoven?)



As trombetas de Jericó


Roma


"O que você quer ser quando crescer, Jeshua?"

 
4 costados


 
"É sempre noite, do contrário não precisaríamos de luz"



Escombros do outono



Jogo da velha


Desejo vertebral


Sentinela


Austeridade ao menos altiva


O sol pálido escolhe quem afagar


Esconde-esconde


À espera...


Cerrado catalão

 
Gaviões da Fiel



Gaudí lançou mão das árvores outonais como pincéis