Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

sábado, 15 de janeiro de 2011

Brazos del Sol - Fabiola Bernardo

Meus amigos,

Quero apresentar a todos vocês minha querida amiga Fabiola Bernardo.

Há pouco mais de um ano, quando me aventurava pelas vielas sobrelevadas de Cuzco, auscultei uma canção inusitada em uma pequena taverna.

O canto de Circe me fez entrar.

Fabiola cantava.

Mais: Fabiola interpretava.

As palavras se desprendiam com volúpia, pareciam contrastar com uma certa timidez por conta dos olhares que buscavam Fabiola.

Fui me aproximando da fronteira do palco que quase se confundia com o público regado a Pisco.

Fabiola cantava de olhos fechados - as mãos espalmadas.

O dedilhar do charango me eriçou.

A palavra escrita muitas vezes não alcança o palato - fadada ao silêncio, a leitura deita a palavra sobre o peito, o livro entreaberto requer uma pausa para a contemplação com os olhos ao longe.

Tudo em silêncio.

A canção, ao contrário, desnuda o belo, torna-o corpóreo, repleto de volteios - ainda que não possamos tocá-lo.

Mas podemos ouvir Fabiola.

Em El Salvador, Fabiola Bernardo e Marvin Osiris cantam "Brazos del Sol":

3 comentários:

  1. Mui belo. O ambiente bucólico combina perfeito com as vozes. (galos e cães fazem intervenções)

    ResponderExcluir
  2. Muito bonito mesmo.

    PS: Me ajude, Flávio, me ajude... Perdi a vontade de criar. O que faço? Me ajude, por favor, Flávio. É sua vez de estender a mão.

    ResponderExcluir
  3. Olá, Edson e Senhor Necessitado!

    Edson, seja muito bem-vindo ao Subsolo das Memórias. Se não me engano, talvez tenhamos nos encontrado, já há alguns anos, em um sarau em São Bernardo. (Digo isso porque vi que você é do Grande ABC.) Foi assim? De qualquer modo, apareça sempre por aqui.

    Senhor Necessitado, creio que não posso ajudar você, não. Se ao menos você fosse a Senhora ou Senhorita Necessitada, aí a coisa mudava de figura :-) Mas se você perdeu a vontade de criar, ainda há muitas crias com que se preocupar, ora! Já pensou em cuidar de um vira-lata também n-e-c-e-s-s-i-t-a-d-o?

    Abraços!

    Flávio Ricardo Vassoler

    ResponderExcluir