Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Subsolo das Memórias - Ano I


Meus amigos,

Compartilho com vocês o primeiro aniversário do Subsolo das Memórias.

Subsolo das Memórias – Ano I

Gostaria de agradecer a todos pela receptividade cordial que este estoriador vem recebendo.

Muito obrigado!

Como homenagem a vocês, a primeira referência deste post de aniversário vem de uma leitora – a querida e intensa Ana Paula.

Onde está você, Ana?

Ana me diz estar próxima do Telúrico:
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/02/telurico.html

Seguem abaixo os posts subterrâneos segundo suas categorias fluidas e fronteiriças.

Prosa e poesia

Resquícios (07/08/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/08/resquicios.html

Caostico (13/08/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/08/caostico.html

Paralelas que se cruzam bem onde o infinito é corpóreo
(21/08/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/08/paralelas-que-se-cruzam-bem-onde-o.html

Todo encontro marcado é casual (25/08/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/08/todo-encontro-casual-e-marcado.html

Os limites da minha língua são os limites do meu mundo
(20/09/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/09/os-limites-da-minha-lingua-sao-os.html

Eu sou aquele que sou – L’état, c’est moi! (26/09/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/09/eu-sou-aquele-que-sou-letat-cest-moi.html

Couraça (25/11/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/11/couraca.html

Incorpóreo (10/01/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/01/incorporeo.html

A poesia subjaz a sete palmos da superfície afogada
(21/01/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/01/poesia-subjaz-sete-palmos-da-superficie.html

Todo o homem deve ter um lugar para onde possa voltar
(27/03/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/03/todo-o-homem-deve-ter-um-lugar-para.html

São Paulo, hoje (04/04/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/04/sao-paulo-hoje.html

Não vai demorar (19/04/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/04/nao-vai-demorar.html

Próxima sessão no dia 15, excepcionalmente (02/05/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/05/proxima-sessao-no-dia-15.html

Nenhum de nós (07/06/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/06/nenhum-de-nos.html

Vale a pena ver de novo (20/06/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/06/vale-pena-ver-de-novo.html

Assim no céu como na terra (04/07/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/07/assim-no-ceu-como-na-terra.html

O Amém aquém (12/07/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/07/o-amem-aquem.html

Fiat Lux (18/07/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/07/fiat-lux.html

Fotonarrativas pelo mundo


Holoclaustro (Auschwitz; 02/09/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/09/holoclaustro.html

Todos os caminhos levam a Roma (Roma; 02/10/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/10/todos-os-caminhos-levam-roma.html

Fotobiografia de Dostoiévski
(Moscou e São Petersburgo; 11/11/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/11/fotobiografia-de-dostoievski.html

Lima (Peru; 17/01/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/01/lima.html

Bem-vindo ao deserto do real
(Ica, Ilhas Balestras; Peru; 29/01/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/01/bem-vindo-ao-deserto-do-real.html

Cusco – Parte I (Peru; 22/02/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/02/cusco-parte-i.html

Cusco Reloaded (Peru; 14/03/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/03/cusco-reloaded.html

Rumo a Machu Picchu (Peru; 06/04/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/04/rumo-machu-picchu.html

Machu Picchu (Peru; 03/05/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/05/machu-picchu.html

Pelo lago Titicaca (Peru; 16/05/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/05/pelo-lago-titicaca.html

Pelo lago Titicaca Reloaded (Bolívia; 20/07/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/07/pelo-lago-titicaca-reloaded.html

O crepúsculo do Titicaca (Bolívia; 04/08/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/08/o-crepusculo-do-titicaca.html

Crítica


La petite mort
(Sobre o Anticristo, de Lars Von Trier; 08/09/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/09/la-petite-mort.html

Balletmanco (Sobre o livro de Donny Correia; 11/10/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/10/balletmanco.html

Balletmanco, por Donny Correia (18/11/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/11/balletmanco-por-donny-correia.html

Where the rainbow ends (Sobre o trabalho fotográfico de Magali Pestana Carrillo; 07/03/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/03/where-rainbow-ends.html

O ver não toca, o toque não vê – Um ensaio sobre a cegueira
(Sobre o livro de José Saramago; 11/03/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/03/o-ver-nao-toca-o-toque-nao-ve-um-ensaio.html

Alteridade


O sonho de um homem ridículo (Dostoiévski; 01/11/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/11/o-sonho-de-um-homem-ridiculo.html

Hay golpes en la vida, tan fuertes... Golpes como del odio de Dios (César Vallejo; 07/02/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/02/hay-golpes-en-la-vida-tan-fuertes.html

Descarrilhado (Ernesto Sabato; 13/02/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/02/descarrilhado.html

Na calçada (Carlos Drummond de Andrade; 24/04/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/04/na-calcada.html

Crise da arte ou arte da crise? (Ernesto Sabato; 15/05/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/05/crise-da-arte-ou-arte-da-crise.html

Curriculum mortis (Leandro Konder; 30/05/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/05/curriculum-mortis.html

Sobre verdade e verossimilhança das obras de arte
(Johann Wolfgang Von Goethe; 14/06/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/06/sobre-verdade-e-verossimilhanca-das.html

Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski (02/08/2010)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/08/fiodor-mikhailovitch-dostoievski.html

Subsolo à superfície


Curso sobre Dostoiévski na Casa das Rosas (15/10/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/10/curso-sobre-dostoievski-na-casa-das.html

Textos para a primeira aula do curso sobre Dostoiévski
(25/10/2009)
http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2009/10/textos-para-primeira-aula-do-curso.html

2 comentários:

  1. E aí Flávio?

    Cumprimento você pelo aniversário de 1 ano de Subsolo das Memórias.

    Deste percurso temporal destaco as suas viagens compartilhas com o leitor através das imagens (estas imagens fazem com que o leitor viaje através da imaginação).

    Entre os textos que li, destaco "Curriculum Mortis", do Leandro Konder, "Crise da Arte ou Arte da Crise?", de Ernesto Sabato, e "Não vai demorar", escrito por você. Como em outros textos seus, você faz uma "plástica com as palavras", mas neste, sinto que você expressa sentimentos. A estética neste caso, longe de ser um fim em si mesma, permite que você expresse sua interioridade.

    No começo, a lembrança da proximidade com o pai é expressa pela proximidade das palavras e frases, num estilo que lembra Saramago. No final, a sensação de afastamento do pai é comunicado pela distância das palavras.

    Chico Buarque, por exemplo, não é um grande compositor somente por causa de suas harmonias e melodias sofisticadas combinadas a letras "intelectualizadas". Pra mim, esse é um equívoco. É claro que Chico é um grande compositor, mas é um grande compositor porque expressa sentimento.

    Abraço,
    Luciano.

    ResponderExcluir
  2. Fala, Luciano! Tudo bom, meu velho?

    Muito obrigado pelos cumprimentos. É muito bacana ter você sempre pelo Subsolo.

    Talvez eu dissesse - e já digo - o seguinte: a poética que se desdobra sobre si mesma, em alguma medida, de fato tende a ser auto-referencial. Mas é preciso perceber também, velho, que a linguagem aparentemente despojada apenas cria a ILUSÃO de que é IMEDIATAMENTE referencial em relação àquilo que diz. Quando você diz que o "Não vai demorar" expressa sentimentos, velho, você quer dizer, na verdade, que a linguagem escorreita - na tendência de um "realismo" que esconde a linguagem pelo silêncio inaudível das palavras - passa a mediar o sentimento como se ele fosse um toque, um afago etéreo.

    Convido você a percorrer as trajetórias subterrâneas de Todo o homem deve ter um lugar para onde possa voltar: http://subsolodasmemorias.blogspot.com/2010/03/todo-o-homem-deve-ter-um-lugar-para.html. Procure perceber um sentido no alquebramento das palavras e em sua movimentação precípua para além do virtuosismo. Aliás, há boas discussões ali após o texto.

    Grande abraço,

    Flavião

    ResponderExcluir