Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

domingo, 16 de maio de 2010

Pelo lago Titicaca

Meus amigos,

Navegemos pelo perímetro peruano do Lago Titicaca.


Não à toa, os olhos se fecham...


Espelho líquido



Are you coming?



11º Mandamento: Afogarás!
[Homenagem a Dunga, o glorioso técnico da seleção brasileira]


Epitáfio



Será que dá pé?



Parking lot



Onde foi que eu... ?



Olhar translúcido



Homenagem a Bay Watch, S.O.S. Malibu.
Resta saber por anda Pamela Anderson...
Opa, eis que a encontro:
(Bem aventurados os destros, pois deles é o Reino dos Céus!)



Coming...



... closer



Homenagem peruana à gloriosa Sociedade Esportiva Palmeiras



O panóptico (de bambu)



Singrar azulado



Gôndolas peruanas



Ladeando



Islas flotantes



Are you coming?



Você vê o gondoleiro?



Evangelho ayuwara


Subprefeitura



Existir é preciso



Portal



Lago Titicaca: "Titi para os peruanos, Caca para Evo Morales"



Basta remar



Você me vê?



Avizinhança



Ô de casa!



There is no place like homeless



O teto me esgueira



Aywara Inc.



Ombros premidos



Abraço entrelaçado



Azul movediço



Ladeando



Ué, não era azul?



O coreto



Capinagem



Liteira liquefeita



Pés descalços em teto de zinco quente



Bocejos engolem o mundo (segunda-feira)



Quem não tentaria pisar entre as cordas se fosse criança?
By the way: "Maturidade do adulto: recuperar a seriedade da criança ao brincar".
De um tal de Friedrich Nietzsche



Queimou?



Aerotrem



Sempre cabe mais uma ;-)



Isla de Amantani


Íris liquefeitas



A foto: captura ambígua



Robinson Crusoé



Are you coming?



Em se plantando...



Parking lot



O abraço não comporta o horizonte



No labirinto, a saída não passa de uma nova entrada



Sorriso liquefeito



O reverso do sorriso...



... o portal gargântula



Apenas alguns passos acima de 3554m



Anihil



Aridez pétrea



Pousada Amantani



Lobo em pele de cordeiro



Em se plantando...



Onde era mesmo a pousada?



Aqui



A cerca e o cerco



E se plantando?



Eletricidade estática



Entre 3 paredes



Beating around the bush



Ela chega antes



A pousada... e o receio



Eletricidade estática



Velório



Para todos e para ninguém



Voto de cabresto



500 braçadas, se tanto



Ladeando



O muro e o cimento etéreo





Reflorestamento



By Paulo Salim Maluf e Alberto Fujimori



O ESCRITório do escritor



Crespo



Enquanto isso, no Jardim do Éden...



O ESCRITório do escritor



Muralha dengosa



O ESCRITório do escritor



O horizonte não comporta o abraço



Caminhar é preciso, sem dúvida. Mas e quanto a subir?



Você me vê?



Aonde a vaca vai...



Ali, ali, no canto inferior direito!



Versos brancos, pálidos, o reverso do sorriso



Qual a fronteira do céu?



Todos os caminhos levam a Roma



Para o meu amigo botafoguense Fábio Oliva



Saudade, Moscou!



Logo mais...



Xeque!



Subprefeitura são-paulina



De qué te ries?



Palidez



Basta um sussurro e...



Vielas me estreitam



Cemitério ecumênico



Entre as árvores - você me vê?



Ali, ali, no canto inferior esquerdo



O pasto e o repasto



Não à toa a Justiça tem os olhos amordaçados...


Em algum lugar do passado

Are you coming?

video

Sim!

video

Aywara Jazz Band

video

6 comentários:

  1. Tienes un ojo muy pero muy buonoooo!!! Lindo viaje y qué bonito es mi Perú!

    ResponderExcluir
  2. Reinaldo Benjamim Ferreiradomingo, 23 maio, 2010

    Até onde irás, incansável viandante?
    Tua sensibilidade tem produzido preciosa matéria para conhecimento do viver andino.
    Abraço,
    Reinaldo

    ResponderExcluir
  3. Pai, me ajuda a olhar! Imaginativa viagem pela imaginação. O mais longe não está senão dentro de ti.

    ResponderExcluir
  4. Olá, pessoal!

    Reinaldo, meu amigo, muito obrigado pelo constante apoio que você vem demonstrando pelo Subsolo.

    Até onde irei?

    Espero não poder precisar tão cedo a resposta para essa pergunta. Daí o saber se tornará andino, israelita, iraquiano, afegão, indiano e jamais etc. :-)

    Sr. ou Sra. Anônimo(a), seja bem-vindo(a)!

    O seu comentário me lembra uma colocação de Schopenhauer - que retoma Horácio: "muda de ares e não de alma aquele vai além-mar". Não sei. Depende muito da imersão. Foi a um oceano e a um continente daqui, em Moscou, que pude efetivamente descobrir o quanto sou brasileiro - e latino :-)

    Esse "dentro de ti" me parece uma imersão que se desconecta com o modo pelo qual nossa identidade (e sua desintegração) se constitui. O Sabato tem uma colocação lapidar nesse sentido: o único espírito que conheço é o espírito encarnado. O dentro de si implica não o lapidar, mas a lápide. No caixão, de fato, não haver nada mais para observar a não ser o eu. Mas, ali, eu já não poderei observar mais nada.

    Não sei, mas o apego inequívoco pela alma me ressoa medroso, melindrado. A alma como a vida de estufa. Algo como a feiúra querendo se vingar daqueles que querem o devir mais do que a certeza. Se o mundo me denegou desde a mais tenra entrada, curiosamente "só posso querer entrar novamente" - um ímpeto uterino, uma reencarnação? Daí o dentro de si? Não sei. Talvez. Mas fico sempre fascinado com tudo aquilo e aqueles que o olhar acostumado não pode conter. Então posso ressignificar o olhar acostumado, o costume no olhar.

    Por fim: Reinaldo, meu amigo, este viandante, ainda que com as mãos sob a luva, busca buscar.

    Grande abraço,

    Flávio Ricardo

    ResponderExcluir
  5. te ver bem, me faz sentir menos saudades

    ResponderExcluir
  6. Grande brother! Valeu por me ter dedicado este espaço, foi de grande criatividade! Falando em Rio de Janeiro, quando você vem?

    Grande abraço,
    Fábio.

    ResponderExcluir