Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Balletmanco, por Donny Correia

Clique na imagem para vê-la maximizada

Meus amigos,

Balletmanco, novo livro do meu amigo Donny Correia.

Seguem abaixo alguns meandros trôpegos em meio ao Balletmanco:

"Balletmanco é o segundo livro de Donny Correia, que em 2005 lançou O eco do espelho, livro de poemas.

"O autor define seu novo livro como um longo experimento que ora se faz prosa, sem no entanto perder o viés poético.

"Primeira parte de uma trilogia, Balletmanco foi escrito entre 2005 e 2008, numa fase em que o autor estudava constantemente obras como Galáxias, de Haroldo de Campos, Ulisses e Finnegans wake, de James Joyce, o que transparece na construção fragmentada e atemporal da narrativa de seu livro, bem como no trabalho lexical e visual.

“'Trata-se de uma estória muito comum e simples sobre um casamento que não deu certo. No entanto este 'lugar comum' recebeu uma roupagem cheia de ruídos, sujeira e fuligem, o que, acredito, tornou Balletmanco um objeto de apelo aos instintos de voyers, que todos temos', afirma Donny.

"A narrativa de Balletmanco transcorre durante três segundos na vida de um poeta cuja esposa, uma artista plástica, acaba de se suicidar. Em meio a devaneios, lembranças e delírios, este poeta vai construindo um emaranhado de situações que são cristalizadas na forma como o texto é disposto nas páginas.

“'A maneira surreal como o texto é construído permitiu-me contar a estória de um fracasso matrimonial, descrita em forma de reminiscência durante três segundos, por alguém que não sabemos onde está, como está, e como agirá dali por diante. O exercício que propus a mim mesmo enquanto redigia Balletmanco foi exaurir as possibilidades visuais, textuais e poéticas lançando mão do absurdo, da escatologia e do humor negro', comenta o autor. 'Prefiro não definir este livro como prosa ou poesia, até porque não pensei nisso durante sua escrita. Há momentos de prosa e há o predomínio da função poética e do experimento visual, mas quando concluí meu trabalho vi que não se podia dizer que é isso ou aquilo. Se me perguntarem, direi sempre, assim como tenho feito, que sou poeta, não prosador', completa Donny".

Balletmanco
Donny correia é poeta, tradutor e videomaker. Atualmente é coordenador cultural da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Tem publicado textos críticos, poemas e traduções em vários sites literários. Publicou o livro de poemas O eco do espelho em 2005. No campo audiovisual reeditou os vídeos experimentais Anatomy of decay, Brain eraser, Under construction e Totem.
Editora: selo [e], Annablume
Disponível para compra no site
ou pelo telefone 3031-1754.

Nenhum comentário:

Postar um comentário