Antes de içar a lâmina, o algoz suplica ao condenado: "Você me perdoa?"

I want you for U.S. Army

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Couraça

Meus amigos,

Auscultem o poema sob a Couraça.
video

Este vídeo-poema foi feito em parceria com o meu amigo poeta e video maker Donny Correia (direção e edição).

Grande abraço a todos,

Flávio Ricardo

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Balletmanco, por Donny Correia

Clique na imagem para vê-la maximizada

Meus amigos,

Balletmanco, novo livro do meu amigo Donny Correia.

Seguem abaixo alguns meandros trôpegos em meio ao Balletmanco:

"Balletmanco é o segundo livro de Donny Correia, que em 2005 lançou O eco do espelho, livro de poemas.

"O autor define seu novo livro como um longo experimento que ora se faz prosa, sem no entanto perder o viés poético.

"Primeira parte de uma trilogia, Balletmanco foi escrito entre 2005 e 2008, numa fase em que o autor estudava constantemente obras como Galáxias, de Haroldo de Campos, Ulisses e Finnegans wake, de James Joyce, o que transparece na construção fragmentada e atemporal da narrativa de seu livro, bem como no trabalho lexical e visual.

“'Trata-se de uma estória muito comum e simples sobre um casamento que não deu certo. No entanto este 'lugar comum' recebeu uma roupagem cheia de ruídos, sujeira e fuligem, o que, acredito, tornou Balletmanco um objeto de apelo aos instintos de voyers, que todos temos', afirma Donny.

"A narrativa de Balletmanco transcorre durante três segundos na vida de um poeta cuja esposa, uma artista plástica, acaba de se suicidar. Em meio a devaneios, lembranças e delírios, este poeta vai construindo um emaranhado de situações que são cristalizadas na forma como o texto é disposto nas páginas.

“'A maneira surreal como o texto é construído permitiu-me contar a estória de um fracasso matrimonial, descrita em forma de reminiscência durante três segundos, por alguém que não sabemos onde está, como está, e como agirá dali por diante. O exercício que propus a mim mesmo enquanto redigia Balletmanco foi exaurir as possibilidades visuais, textuais e poéticas lançando mão do absurdo, da escatologia e do humor negro', comenta o autor. 'Prefiro não definir este livro como prosa ou poesia, até porque não pensei nisso durante sua escrita. Há momentos de prosa e há o predomínio da função poética e do experimento visual, mas quando concluí meu trabalho vi que não se podia dizer que é isso ou aquilo. Se me perguntarem, direi sempre, assim como tenho feito, que sou poeta, não prosador', completa Donny".

Balletmanco
Donny correia é poeta, tradutor e videomaker. Atualmente é coordenador cultural da Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura. Tem publicado textos críticos, poemas e traduções em vários sites literários. Publicou o livro de poemas O eco do espelho em 2005. No campo audiovisual reeditou os vídeos experimentais Anatomy of decay, Brain eraser, Under construction e Totem.
Editora: selo [e], Annablume
Disponível para compra no site
ou pelo telefone 3031-1754.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Fotobiografia de Dostoiévski

Meus amigos,

Seguem abaixo fotos que retraçam a trajetória de Fiódor Dostoiévski.

Para maximizar as imagens, basta clicar sobre as fotos.

Grande abraço,

Flávio Ricardo

-------------------

Moscou: Rua de Dostoiévski


Museu Dostoiévski




Jardim do Museu - Hospital para Tratamento de Tuberculosos





Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski





"O grão de trigo caído na terra, se não morrer, fica só; se morrer, dá muito fruto".




Olhos meras cavidades





Amplenitude






"Se Deus não existe, tudo é permitido".




Punho entalhado






Palavras não cicatrizadas




Crime e Castigo





O Idiota





Quarto de Fiódor e do irmão Andrei







O contraste: casa de Liev Tolstói



Na propriedade de Tolstói: cabana de Dostoiévski?





Túmulo de Tolstói







Amplenitude em Iasnaia Poliana







Sala dostoievskiana








Os brinquedos de Kólia





Carta de Dostoiévski à mãe





Lançamento de "Pobre Gente"






Sala dostoievskiana





Quarto dos pais








Cristo Russo




Fotos...






... derradeiras






Aliócha Karamázov



A ressurreição de Aliócha Karamázov






Os Irmãos Karamázov




Padre Zóssima





Dmítri Karamázov







O parricida





Memórias do Subsolo







Andrei Dostoiévski




Pena



São Petersburgo - Rumo ao Subsolo




Museu Dostoiévski





Rua de Dostoiévski




Museu Dostoiévski




Sala de Recepção




Os filhos




"Papai, traga-me uns doces".




O feudo de Anna Grigorievna Dostoievskaia




Enquadrado



Austero





Petersburguês




Torcicolo




28 de janeiro de 1881

"Hoje, papai morreu".



O Subsolo





28 de janeiro de 1881, quarta-feira, 8:36





O Sobresolo




Front





Anna Grigorievna Dostoievskaia

Andrei Fiódorovitch Dostoiévski



Falecimento

28 de janeiro de 1881



Nascimento

30 de outubro de 1821



Aqui Fiódor Dostoiévski escreveu o romance

Os Irmãos Karamázov



À espreita




O Grande Inquisidor


Nastácia...


... Filíppovna

O Subsolo

Casa de Rogójin

Míchkin à espreita



Dostoiévski e a fuga dos agiotas: 1


Onde se escreveu Crime e Castigo


Da pena de Dostoiévski, a machada de Raskólnikov


O Guardião do Subsolo

Fuga da agiotagem: 2


Casa de Raskólnikov
Fuga da agiotagem: 3

3: fuga da agiotagem

Academia de Engenharia Militar
Na Academia, Pedro, o Grande
"Tu és Pedro, e sobre esta pedra soerguerei meu Reino".

Pedro e as pedras: onde estão os soterrados?

A agiotagem e a fuga: 4
4: a fuga da agiotagem
Praça dos Pioneiros
Local de encenação da pena de morte para Dostoiévski
e os demais membros do Círculo de Pietrachévski

"Vida é vida em qualquer lugar; a vida está em nós mesmos, não no exterior".
Fala o apóstolo Dostoiévski.
Que diria Ivan Karamázov?


A Beleza salvará o mundo! (Míchkin)
O Mundo salvará a beleza? (Ivan)
Fortaleza de Pedro e Paulo


Aqui Dostoiévski aguarda o julgamento

O homem do subsolo




De volta a Moscou:
estátua de Dostoiévski em frente à Biblioteca Lênin